Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amena em Viagem

O Amena não tem o melhor nome para blogue de viagem e lady-gazeta não é o nome de autor mais credível para uma blogosfera de gente séria, mas estamos bem com isso. Somos sempre mais do que bons viajantes e bons nomes.

06 de Julho, 2014

Reguengo do Alviela

lady-gazeta

Não sei se é Aldeia, se é Sitio, se é Lugar. Para mim é como se fosse uma ilha.

Sinónimo de isolamento, de gentes diferentes, de culturas, de exótico, de distância e de inacessibilidade.

Nenhum dos meus amigos conhece o Reguengo. Sempre ouviram falar dele como terra de cheias, terra da lady-gazeta e terra que sempre a roubou de todos os compromissos em Lisboa, ao fim de semana.

O Refúgio. Meu e das minhas gentes. É a minha origem, dela fazem parte todas as minhas memórias, todos os meus gatos, todos os meus verões. Os primos e primas. A família que nunca mais acaba. Foi ali que sempre sujei as mãos, andei descalça no asfalto, a bicicleta, os avós, o café, a horta, a família. O lar. A casa cheia e a solidão. É lá que faço o meu Hiato.

Abro parte deste livro. Há exposições mais fortes que um corpo nu e, abrir a porta do meu Reguengo, é uma dessas exposições. Já ouvi dizer que odeiam o local, mas não o deixam de visitar, que o adoram e passam meses sem se verem. Amores à distância coloco-os sempre em causa.

Hoje, o Reguengo tem pouco mais de 20 habitantes. O inverno tem levado a melhor e leva também parte dos meus velhotes. Faço previsões de futuro para a minha vida, para os meus afazeres, mas sobre o Reguengo não me atrevo a faze-lo. Olhos que não vêem, coração que não sente. Não há escolas, não há posto médico, 4 crianças, sem café, sem pessoas, casas a cair. Apenas gatos.

Todos os anos o Tejo galga as margens e há uma cheia que lava os campos, promete boas colheitas para o ano seguinte, mas não promete futuro digno, o desenvolvimento. O Reguengo precisa de atenção, de mimo, de apreço e quase ninguém lhe dá. A não ser quando a TVI, SIC ou RTP fazem de lá directos, com a cheia a lavar as entradas das casas. Aí sim, todos veneram o Reguengo e todos são de lá.

E isto inquieta-me. Sei que há Reguengos destes por todo o país. Mas já que isto é uma Amena Cavaqueira e estamos entre amigos, é um desabafo. Triste. 

 

Reguengo, Tejo. 05-07-2014

05 de Julho, 2014

Porta dos Fundos

lady-gazeta

Fui vê-los.

 

Um Campo Pequeno realmente pequeno para tanta gente e uma expectativa moderada, foi o que senti assim que cheguei.

Os vídeos partilhados pela Porta dos Fundos eram e são um sucesso na internet. Uns com mais piada do que outros, é certo, mas lá está, os vídeos... são vídeos, são caseiros, são pensados, são pequenos. O desafio, quanto a mim, seria transportar aquele humor de 4 min de youtube para uma plateia cansada após um dia de trabalho. Sucesso, foi o que aconteceu. (Ainda que se nos brindassem com mais algum tempo a gargalhar não se perdia nada.)

Pela eloquência do Fábio, por uma hora a rir compulsivamente e pelo guião estruturado convenceram-me a ficar mais fã. Portanto, voltem cá. E continuem neste registo.