Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Amena em Viagem

O Amena não tem o melhor nome para blogue de viagem e lady-gazeta não é o nome de autor mais credível para uma blogosfera de gente séria, mas estamos bem com isso. Somos sempre mais do que bons viajantes e bons nomes.

27 de Agosto, 2020

O regresso, Basileia - Colmar - Estrasburgo - Luxemburgo e Covid19

lady-gazeta

Já passou algum tempo sem nos vermos. Saudades? Espero que sim, porque eu tive muitas saudades vossas, de vos escrever!

Como já vos habituei, de vez em quando lá vem mais um hiato necessário. E que hiato, amigos. Passou-se tanta, tanta coisa. Mas sabem, às vezes é importante parar, para recomeçar no registo que vos habituei: sem grandes roteiros, mas com muitas opiniões e sensações que só quem é um bom viajante as conhece. A última vez que falámos estávamos, eu e o A, em Colmar. Estava um frio absolutamente cortante, doíam as bochechas e os dentes só de falar. Mas nada disso interessava, sabem por quê? Porque foi a cidade de Natal mais acolhedora e amorosa de todas as cidades de Natal que já visitámos.

 

DSC05302.JPG

DSC05336.JPG

DSC05310.JPG

DSC05342.JPG

DSC05293.JPG

 

 

Depois de Col(d)mar, seguiu-se Estrasburgo.

DSC05426.JPG

DSC05434.JPG

DSC05463.JPG

DSC05486.JPG

DSC05534.JPG

DSC05518.JPG

DSC05521.JPG

 

Estrasburgo igualmente encantador, mas em grande escala: dezenas de mercados de Natal, rua-sim, rua-sim, muitíssimo turismo e apenas por isso, considero que Colmar ganha pontos no que toca ao pitoresco. De Estrasburgo seguimos para Luxemburgo de autocarro. Não considero a forma mais fácil de fazer a viagem, uma vez que de comboio é mais rápido e mais confortável. Contudo, em Dezembro de 2019, havia greve de transportes em França e, como consequência, os comboios foram suprimidos. Posto isto, chegámos à Cidade de Luxemburgo 3 horas depois. Luxemburgo nunca foi uma cidade ou um país de sonho no topo dos nossos interesses, mas foi lá que encontrámos dois Mercados de Natal relativamente pequenos mas muito bem-apessoados, repletos de luz, cor e azáfama (tal como o Natal pede).

DSC05586.JPG

DSC05587.JPG

DSC05599.JPG

DSC05624.JPG

DSC05632.JPG

Uma roda gigante com vista para toda a cidade e a língua portuguesa como língua-mãe, Luxemburgo deve ser um ponto de paragem mesmo para os mais céticos e para pessoas que, tal como nós, gostam tanto de Natal. Dois dias chegam para conhecer a cidade e o seu luxuoso e majestoso jardim verdejante e histórico, que lhe beija os pés. Depois desta roadtrip natalícia onde tivemos a possibilidade de visitar Basileia, Colmar, Estrasburgo e Luxemburgo, o regresso a casa foi com metade do cérebro feliz e a outra metade triste. Feliz pelo que viu, pelo inédito de fazer um percurso ainda muito pouco conhecido por cá, mas muito triste porque acabou. A vontade, nesse Natal, era marcar uma próxima viagem de Natal para 2020.

Mas não marcámos. No início do ano agendámos uma primeira viagem para Março, para o epicentro da Covid-19 Europeia, que acabámos por remarcar para outro destino em Maio… que desmarcámos novamente, por precaução. E o tema viagens ficou em stand-by.

Acham mesmo? Não ficou nada em stand-by! E quem nos segue no Instagram sabe disso.

Assim que pudemos, lá fomos nós! Foi a oportunidade que esperávamos para a roadtrip que já tínhamos adiado algumas vezes: a tão popularizada Nacional 2. Fizemo-la em Junho, na épica semana dos feriados, com um retiro, de alguns dias, a Sul após 3 meses de clausura. Viajar depois do isolamento foi ainda mais valorizado por nós: o conhecer fora das quatro paredes teve mais encanto: os detalhes, as pessoas, a liberdade de poder circular foram uma lufada de ar fresco. Querem saber o que achámos da Nacional 2? Fiquem por aí!

Amena no Instagram

1 comentário

Comentar post